Bem-vinda!!

Bem-vinda ao nosso blog!
Aqui, mamães muito diferentes mas com um único objetivo compartilham suas experiências nesta grande aventura que é a maternidade! Nós queremos, acima de tudo, ser mamães sábias, que edificam seus lares e vivem com toda plenitude o privilégio de sermos mães! Usamos muitos dos princípios ensinados pelo Nana Nenê - Gary Ezzo, assim como outros livros. Nosso objetivo é compartilhar o que aprendemos a fim de facilitar a vida das mamães! Fomos realmente abençoadas com livros (e cursos) e queremos passar isso para frente!


"Com sabedoria se constroi a casa, e com discernimento se consolida.
Pelo conhecimento os seus cômodos se enchem do que é precioso e agradável"
Prov. 24:4,5

sábado, 1 de dezembro de 2012

Tradições Natalinas Com os Filhos

Esta semana estive pensando no que fazer para criar uma nova tradição familiar em torno do Natal, algo que fosse significativo para as crianças, que criasse memórias gostosas em família e, acima de tudo, os ajudasse a entender a VERDADEIRA comemoração do Natal, o nascimento de Jesus!

Aqui nos EUA muitas famílias cristãs têm como tradição o advento, que começa 4 domingos antes do Natal. Advento significa "espera" e comemora a espera do Messias que estava para vir ao mundo para salvar a humanidade do pecado! Não sei se no Brasil é uma tradição católica ou se também está no meio evangélico (o que não importa), mas achei a ideia muito legal e inclusive lembro de ter feito quando era pequena! Temos um filminho de quando eu tinha uns 3 anos, e meus irmãos 5 e 6 anos (aproximadamente). Tínhamos as 4 velas para acender (uma a cada domingo) enquanto meu pai contava a história do nascimento de Jesus. Então, fui pesquisar sobre o advento para fazer aqui em casa!

O advento começa amanhã, domingo, o quarto domingo antes do Natal! Neste dia, as crianças podem acender a primeira vela (e todos os dias da semana)! Podem também usar aqueles calendários onde se abre uma portinha cada dia do mês de dezembro até o dia do Natal. Como família, podemos cantar algumas músicas de Natal e então papai ou mamãe contam uma história relacionada ao nascimento de Jesus (cada domingo será uma). Podemos usar a própria Bíblia infantil dos nossos filhos para isso! Quando eu era pequena aprendemos um poeminha que sei até hoje! Usávamos um presépio para encenar o poema enquanto falávamos (ou fazíamos os gestinhos). Eu adorava! Filmei o Tiago falando o poeminha para quem quiser aprender!

Cada noite desta tão preciosa espera (os 24 dias) podemos ler juntos em família alguns versículos e cantar musiquinhas (e as crianças podem acender a vela - uma só na primeira semana - duas na segunda...e por aí vai). Seja criativa! Crie atividades para envolver seus filhos nessa espera! Você pode fazer com eles o calendário de abrir cada dia uma portinha (coloque uma surpresa em cada dia, ou uma frase, versículo ou pista para alguma brincadeira, qualquer coisa que faça desse tempo algo memorável!). Faça artesanatos de Natal ou simplesmente imprima folhas com figuras de Natal (uma estrebaria, uma ovelha, uma estrela, um rei mago - procure no google!) para eles colorirem enquanto você explica porque essa figura está relacionada ao Natal.

Será uma nova tradição da nossa família este ano e venho aqui depois para postar sobre como está sendo! Espero que você também seja inspirada a criar novas tradições significativas em família ao ensinar seus filhos o que realmente é o Natal!

Compartilhe suas ideias também!!

"Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado, e o governo está sobre os seus ombros. E ele será chamado Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, Príncipe da Paz". Isaías 9:6

video

Esse é José, essa é Maria
Juntos andaram até Belém,
Batem na porta, alguém responde:
- Não há lugar para mais ninguém,
porque já é tarde e finda-se o dia,
Podem dormir na estrebaria.
E nessa noite de paz e amor
Nasceu Jesus, o Salvador!



7 comentários:

  1. Oi Tine, estou numa igreja evangélica em SP que comemora a tradição do Advento sim! Como estamos lá há pouco tempo, só participamos uma vez até agora. Agora em 2012 vai ser a segunda vez. E é assim como você explicou: a cada um dos 4 domingos que antecedem o natal tem uma cerimônia de acender velas com representações diferentes, se não me engano: esperança, paz, alegria e fidelidade.

    Em minhas lembranças de infância, além da ceia e oração à meia-noite, minha família não tinha bem uma tradição em nossas comemorações de natal. Nunca tinha esse negócio de escrever cartinha para o papai noel, nada dessa "magia" de que ele deixaria presentes debaixo da árvore, sabe? Em alguns anos até montamos e decoramos uma árvore de natal, colocamos pisca pra enfeitar, fizemos amigo-secreto etc. mas meu pai era meio contra (só quando adolescente fui realmente entender porque) então não chegou a virar uma tradição de família. Recentemente saí de uma igreja que nem sequer o natal comemora! Enfim, tudo isso só para explicar porque não sou muito fã da tradição do Natal em si e porque o Douglas e eu nunca fazemos questão desta data (porém respeitamos quem faz). Quando ainda estávamos na igreja batista (recém-casados), o grupo de jovens fez um estudo sobre a história do natal e suas simbologias (enquanto festa pagã) e isso só serviu para nos desencantar ainda mais!

    Mas acho importante cultivar tradições familiares sim, sempre com a finalidade de que elas nos aproximem de Deus e que, como você falou, criem memórias gostosas em família! No ano passado me indicaram a leitura de um livro chamado "Treasuring God in Our Traditions" (by Noel Piper) que ainda não peguei pra ler. Você conhece? As meninas estão crescendo e, principalmente a Nicole, já estão numa idade que começam a entender, então estou orando a Deus e pedindo estratégias e ideias bacanas sobre que atividades e tradições podemos cultivar em nosso lar. Muito obrigada por ter postado sobre isso!

    ResponderExcluir
  2. Oi Ta!

    É, infelizmente vivemos num mundo onde tudo acaba sendo transformado e adaptado para excluir Deus. Mas penso que isolar nossos filhos disso não fará muita diferença, e sim explicarmos e resgatarmos em nosso lar a Verdade em meio a tudo isso. Temos que aproveitar estas coisas para conversaros, ensinarmos, resgatarmos e usarmos para o Reino! É que nem a internet...se você for pensar o MAL que está por tras da internet...a pornografia sendo só uma..mas não temos como evitar que a internet cresça e se torne parte de tudo e todos. Porém , temos que aproveitar algo com potencial gigantesco para o mal e usa-lo para ter um potencial gigantesco para o bem!! Vejo isso nas igrejas que possuem podcast e nossa oportunidade hoje de escutar pregações do mundo inteiro, de ler a Bíblia em nosso próprio telefone, de ajudar pessoas, de escrever um blog para inspirar pessoas que nem conhecemos! Não é verdade? Uma pessoa legalista poderia pensar na internet como uma distração, algo mundano, cheio de pecado e com potencial para estragar vidas. Temos que tomar cuidado para não nos isolarmos de coisas simplesmente pelo mal que elas tem. Porque TUDO e TODOS tem maldade. Mas temos que resgatar a Verdade em tudo e mostrar para nossos filhos o que é certo e errado, porque não temos como tirar eles do mundo, mas temos como ensinar a eles a olhar para o que é verdadeiro e escolher o que é certo.
    Por isso escolhemos não isolar nossos filhos do mundo e sim usar tudo como oportunidade de criar neles um senso crítico e de reflexão. Isso é certo? É verdadeiro? É amável? Vamos refletir juntos e escolher como família!
    Deixamos eles ver o papai noel no shopping e curtir a alegria do Natal! Mas EM TUDO resgatamos o verdadeiro significado do Natal, que é lindo!!! Nosso salvador veio ao mundo! A esperança do mundo finalmente chegou! Nós, mais que qualquer um, temos que comemorar!! Não podemos deixar que o Natal seja só sobre papai noel e presentes (isso nossos filhos vão ver e aprender de qualquer forma! Pois estão no mundo!) mas temos que lutar pelo seu significado!
    Quando saímos para fazer "trick or treat" esse ano no halloween tive a oportunidade de conversar com o Tiago sobre coisas do Reino. Pude mostrar a ele como algumas pessoas celebram a morte, mas como nós que temos Jesus celebramos a vida. Marcou muito ele ver aquelas coisas horríveis de halloween e ouvir a mamãe dizer que com JEsus, temos VIDA. Pude mostrar como o mundo é perdido, como as pessoas precisam de Jesus. Tudo isso enquanto criavamos memórias gostosas em família de sair de fantasia na rua e pedir bala nas casas!
    É como escolher isolar seu filho de todos os filmes que existem e nunca leva-los ao cinema OU escolher ir junto com seu filho e ajuda-lo a ter um olhar crítico e saber não aceitar tudo o que vê, mas questionar o que é bom e o que não é, e poder tomar um decisão.
    Enfim, o Natal pra mim é uma das minhas menores preocupações, porque minhas memórias de infância são maravilhosas! Lembro pouca coisa da minha infância, mas do Natal, lembro muito!! O tempo gostoso em família, as comidas gostosas, os presentes, a família reunida e a mensagem de Jesus! Tem coisa melhor? Até hoje o Natal é motivo de reunir minha família (agora com muitas crianças!) e celebrarmos o aniversário de Jesus! Até cantamos parabéns! :)
    A nossa igreja também aproveita as tradições pagãs para fazer um super culto lindo sobre o Natal, com decorações lindas, muita música, chocolate quente, enfim...faz tudo super atraente aos olhos do mundo para então receber estas pessoas e mostrar o verdadeiro significado do Natal, a salvação para todos!!
    Não vamos deixar o mundo definir o significado do Natal, vamos lutar para que Jesus seja o centro!! Começando em nossas famílias!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tine, vejo muita sabedoria em suas palavras quando você fala que não temos como tirar nossos filhos do mundo, mas que temos de ensiná-los a olhar para o que é verdadeiro, a escolher o que é certo e a usar tudo como oportunidade de criar neles um senso crítico e de reflexão. Como disse antes, estou orando e pedindo estratégia a Deus sobre como fazer as coisas aqui em casa!

      Como eu tentei explicar no outro comentário, o Natal sempre foi "about Jesus" na minha infância. Jesus era o foco das nossas comemorações de Natal (e não o papai noel, a decoração, etc.), mas depois que eu descobri que não foi o mundo que pegou o natal e o desvirtuou (e sim o contrário!) e que a comemoração do nascimento de Jesus não é um costume e muito menos uma ordenança bíblica (mas que a Bíblia está cheia de outras festas instituídas por Deus que nós NÃO observamos), pra mim perdeu a graça, entende?

      Assim como Constantino pegou todos os deuses pagãos que já existiam e transformou-os em "cristãos" (dando nome de personagens bíblicos), a Igreja Católica também pegou as festas e tradições pagãs e as "cristianizou" (adaptou ao cristianismo). Significa que não foram os pagãos que pegaram a simbologia do natal e a adaptaram para excluir Deus, mas foram os pseudo cristãos (quando Constantino decretou que todos do império tinham de se converter) que pegaram uma tradição pagã que já existia (com árvore que pisca, guirlanda, colocar presentes debaixo da árvore - tudo tem uma simbologia não-cristã por trás) e tentou de alguma forma fazer encaixar com a Bíblia (forçando bem a barra, se você analisar direitinho os escritos bíblicos e a cultura judaica). Enfim, pra mim o Natal simplesmente não é uma festa bíblica e eu não vejo sentido nele!

      Não dá para entrar em todos os detalhes aqui sobre isso, mas pesquisando rapidamente, encontrei dois sites cristãos que explicam mais (não li tudo o que dizem, mas é + ou - o que já conhecia sobre o assunto):
      http://www.instituteffl.com/moodle/mod/resource/view.php?id=892
      http://averdadeestampada.blogspot.com.br/2010/09/farsa-do-natal.html.

      Bem, não quero estragar o Natal para você e acho o trabalho que você está fazendo com as crianças muito legal, de verdade! Eu apenas não sei bem ainda como fazer aqui em casa. :)

      Sei que a primeira reação de quem ama o Natal é ficar inconformado com quem genuinamente não o aprecia como algo "de Deus", mas não fique brava comigo, tá!

      PS. E sobre outras comemorações previstas no calendário escolar, eu não deixei a Nicole participar da festinha de halloween e nem de carnaval. Taí outro assunto que dá muito pano pra manga!

      Excluir
  3. Eu me converti na adolescência, o que significa que tive diversos natais sem Jesus. De fato, papai noel era o centro das atenções.
    Curiosamente, minhas lembranças de Natal são as melhores que tenho da minha família. Tenho saudades até mesmo daquela espera pelo bom velhinho (meu pai fantasiado...e eu nunca desconfiei!), da troca de presentes, da mesa farta, da família reunida...

    A família do meu marido, por outro lado, nunca comemorou o Natal, justamente por achar que era algo desvirtuado. Hoje em dia meu sogro até vai às comemorações, mas só porque decidiu aproveitar o encontro da família. Minha sogra segue ficando sozinha em casa tanto no dia 24, quanto no dia 25.

    Então eu e meu marido tivemos de decidir quando casamos como seria nossa família. Não tive dúvidas: eu não posso abrir mão do Natal. É precioso demais. Mesmo que não houvesse qualquer menção sobre Jesus, eu ainda celebraria com uma mega festa. Mas olha só que maravilhoso: mesmo sendo uma festa pagã (que é mesmo, basta pesquisar no Google e verificar todas as simbologias, de árvore até as meias penduradas), temos a oportunidade de usá-la para glorificar a Deus e ensinar nossos filhos.

    Acho que isso serve para tudo na vida. Se o mal tenta desvirtuar as coisas boas, por que não santificar o mal? Por que não aproveitar o halloween? O carnaval? E por que não adotar tradições ou aproveitar todas essas oportunidades para criar laços ou conhecer Jesus?

    Meu marido sempre disse, quando namorávamos, que não fazia questão do Natal e tentava me convencer com todos os argumentos verdadeiros de sua banalidade. Ano que vem completaremos dez anos de casados. Sabem qual foi a primeira pergunta que ele fez em meados de novembro? Se já estava na hora de tirar a árvore do armário. São preciosas minhas fotos e vídeos dele e a Gi lavando a árvore (e jogando água um no outro), dos anjinhos que fizemos com E.V.A. para decorar a casa ou deles escrevendo a famigerada carta a ser remetida para o polo norte. Igualmente precioso é o teatro de bonecos contando a história do nascimento de Jesus.
    Meu marido passou 24 anos sem Natal e hoje ele não cogita deixar nossos filhos sem essas tradições.

    Não estou dizendo que celebrar o Natal é o certo e não celebrar é errado. Exceto o fato de que o único caminho para a salvação é Jesus, acho que todo o resto é discutível. Mas se me pedissem um conselho, eu diria “experimente celebrar”.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lindo, Fabi, obrigada por compartilhar sua experiência conosco. Sabia que sempre aprendo muito com você, amiga?

      Eu queria apenas citar que tanto no seu caso quanto no da Tine os sentimentos relacionados ao natal estão carregados com boas recordações da infância (da 'magia' do natal). E, sei lá, eu não tive isso... era sim uma festa comemorativa que reunia toda a família, mas não tinha uma atividade para as crianças e girava muito em torno da ceia à meia-noite. Como eu NÃO curto comer de madrugada, nesses quase 10 anos de casados, a comemoração não fez falta aqui. : )

      Mas eu quero sim ter tradições em nosso lar, com atividades especiais, comida, brincadeiras, historinhas, algo que a gente possa repetir todo ano... só não sei o quê e nem quando!! Acho que não precisam necessariamente seguir o calendário oficial, né! Ai, que difícil, rs!!

      Parece que você "largou mão" do natal enquanto festa religiosa cristã numa tentativa de não espiritualizar demais as coisas e apenas curti-las pelo que elas são (a festa pela festa), foi isso? É uma visão interessante, mas você diz para a Gigi que o papai noel existe e vai ler a cartinha dela? Não corre o risco de quando ela crescer e descobrir que o bom velhinho não passa de ficção, ela vai achar o mesmo de Deus?

      Obrigada mais uma vez, Tine e Fabi, por enriquecerem o blog com suas experiências!!

      Excluir
  4. Acho que se pesquisarmos a origem de tudo, vamos descobrir que quase tudo é de origem pagã! Isso não importa...fico até feliz que nós como cristãos pegamos algo com origem pagã e tornamos numa celebração de Cristo! Foi para a liberdade que Cristo veio! E Ele nos adverte várias vezes na Bíblia para não nos escravizarmos novamente a religiosidades sem sentido (isso pode, aquilo não)! Tudo o que não é Bíblico tem que apenas ser questionado por cada um se é bom, amável, traz fruto, etc.. a origem não importa.
    Na Bíblia não diz que devemos comemorar aniversários...mas comemoramos e nos divertimos muito celebrando a vida dos nossos amados! Por que não comemorar o aniversário de Jesus?
    Mas isso é tópico para um blog sobre teologia ou vida cristã!
    Acho que muitas mamães aqui não estão entendendo nada da nossa conversa, rsrs.
    Beijos amigas!

    ResponderExcluir
  5. Talita, concordo que não precisamos necessariamente usar o Natal para criar tradições. Acho mais fácil porque todos estão "no clima" e tudo é propício. Realmente, não encaro o Natal como festa cristã, mas aproveito a oportunidade para glorificar o Senhor. Espero que toda essa alegria, essa quebra de rotina e as tradições se tornem lembranças felizes enraizadas na cabeça das crianças e que quando crescerem elas sempre se lembrem das nossas atividades...e, claro, da mensagem que passamos através de tudo isso.

    Sobre a carta do papai noel, acho que aí tem muita margem para discussão. Também pensei muito sobre isso e conversei muito com o Renato. Foi difícil bater o martelo e não tenho muita segurança sobre nossa opção. Nós optamos "pela magia". Contamos toda a história do polo norte e da fábrica de brinquedos e tudo o mais.

    Por que? Não dá para responder objetivamente. Eu me lembro com muito carinho da minha época de "faz de conta". Eu escrevia a carta com convicção, meu coração saía pela boca quando o Natal se aproximava. Ai como eu sonhava conhecer o polo norte! rsrsrs

    Sei lá, se minha mãe me perguntasse hoje se eu gostaria de ter sido enganada ou se preferiria a verdade desde sempre, eu não hesitaria em responder "Obrigada por ter me proporcionado esses momentos encantados".

    E se foi bom para mim, acredito (embora possa estar enganada...só vou saber quando fizer a pergunta para ela daqui alguns anos) que para ela também será.

    Hoje ela não separa a realidade da fantasia. Ela acredita que as princesas da disney existem e que as varas de condão funcionam. Por que dizer que tudo é mentira? Algum dia ela compreenderá o que é verdade. Nesse dia, espero que ela perceba que, embora tenha mentido sobre algumas coisas, isso não significa que tudo o que eu disse não seja verdadeiro.

    E que Deus me ajude!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!