Bem-vinda!!

Bem-vinda ao nosso blog!
Aqui, mamães muito diferentes mas com um único objetivo compartilham suas experiências nesta grande aventura que é a maternidade! Nós queremos, acima de tudo, ser mamães sábias, que edificam seus lares e vivem com toda plenitude o privilégio de sermos mães! Usamos muitos dos princípios ensinados pelo Nana Nenê - Gary Ezzo, assim como outros livros. Nosso objetivo é compartilhar o que aprendemos a fim de facilitar a vida das mamães! Fomos realmente abençoadas com livros (e cursos) e queremos passar isso para frente!


"Com sabedoria se constroi a casa, e com discernimento se consolida.
Pelo conhecimento os seus cômodos se enchem do que é precioso e agradável"
Prov. 24:4,5

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

40 dias de Alícia!


Durante o mês de julho, meu marido ficou em casa quase todas as manhãs para me ajudar a olhar a Nicole enquanto eu cuidava da Alícia e também tentava tirar uma ou duas horinhas para trabalhar (sim, em plena licença-maternidade, rs!), mas agora que as férias da Nicole acabaram, estamos entrando em uma nova rotina! Por isso estou aproveitando esse primeiro dia de nova rotina para contar um pouco sobre como foram os primeiros 40 dias de vida da Alícia.

Bem, estou muito contente com o desenvolvimento até aqui. Com isso não quero dizer que tem sido fácil, pois ter um bebê é sempre difícil e desafiador! Apenas que como é minha segunda experiência, eu estou mais tranquila com relação ao que fazer e ao que esperar de um recém-nascido. Foi muito tenso da primeira vez, pois lá no fundinho eu carregava o receio de estar fazendo algo "errado" e de me arrepender lá na frente. Como li muito e me preparei o máximo que pude antes da Nicole nascer, eu tinha na cabeça um monte de "regras" do que poderia / deveria ou não fazer (quanto à rotina do bebê). O medo era de errar feio e estragar tudo! É, mamães de primeira viagem realmente são exageradas em seus temores, rs!

Mas estamos aqui - todos felizes, sãos e salvos - e me sinto mais confiante com relação à rotina da Alícia. Abaixo descrevo um pouco sobre cada parte da rotina que estou implementando conforme ensina a Encantadora de Bebês (E.A.S.Y.).

Eat (Comer)
A primeira parte da rotina nesta fase é a amamentação. A Alícia mama muito bem. No hospital não fomos tão bem assim. Era alojamento conjunto (o bebê fica no quarto a maior parte do tempo), mas por uma série de fatores - dentre eles as visitas, o meu cansaço e a própria rotina da maternidade que não deu muito apoio com relação a isso - me impediu de amamentá-la a cada 3 horas como deveria ter feito. Pra ser sincera, eu acho que nos dois primeiros dias ela mamou apenas umas 3 ou 4 vezes por dia, o que é bem pouco considerando que um recém-nascido deve mamar no mínimo 7 ou 8! O resultado foi que ela perdeu mais peso do que deveria e, por causa da icterícia, tivemos de ficar um dia a mais na maternidade para ela fazer fototerapia.

Comecei a implementar o E.A.S.Y a partir do 3º. dia de vida. Os primeiros 4 a 5 dias de amamentar a cada 3 horas 24h por dia pra mim são os piores. Doi muito. Mesmo passando a pomada Lansinoh antes e depois das mamadas. A explicação para isso (segundo o Nana Nenê) é que durante esses primeiros dias de vida o bebê mama um líquido grosso, amarelado, rico em anticorpos e com 5x mais proteína do que o leite maduro. Chama-se colostro. Ele tem menos gordura e açúcar do que o leite mas, por ser grosso, exige maior tempo de digestão e deixa os seios doloridos. O bico dos meus seios não chegam a sangrar, porém aparecem bolhas brancas e ficam bem sensíveis ao toque (no banho ardem com a água batendo contra eles). A boa notícia é que isso passa! Antes da Alícia completar uma semana de vida, o meu leite já havia descido e amamentar deixou de doer!

A Alícia suga forte e na maior parte das vezes faz uma refeição completa em menos de 10 minutos. Eu sei que a maioria dos livros diz que o tempo de amamentação, principalmente no primeiro mês, chega a 30 minutos por vez, mas parece que as minhas filhas não precisam de todo esse tempo para mamar. Além disso, sigo a orientação da Encantadora de Bebês e dou apenas um lado por vez. Raras vezes precisei dar o outro lado também. Aprendi com o Nana Nenê que a sucção não-nutritiva não é recomendável e, por não querer virar uma "chupeta humana", tiro-a do peito para arrotar minutos após eu parar de ouvi-la engolir depois de 5 ou 6 sugadas.

Ela também golfa muito. O leite chega a esguichar, às vezes enquanto ela ainda está no peito (talvez porque ela mama rápido demais?) ou quando a coloco sobre o meu ombro para arrotar. A Nicole não golfava tanto leite ou com tanta frequência. Quando golfava normalmente era porque eu havia sem querer apertado a barriguinha dela na hora de trocar a fralda. Com a Alícia já tomei as devidas precauções como inclinar o berço e também não deixá-la em posição totalmente horizontal após as mamadas. Nem sempre funciona. Na verdade eu desconfio de que a posição inclinada não seja tão favorável pois faz a fralda apertar a barriga (principalmente se ambas estiverem cheias). Então tenho invertido a ordem, procuro trocar a fralda antes de mamar e também faço questão de não apertá-la muito na hora de colar o adesivo. Outra ideia que o meu marido teve é de interromper a mamada para fazê-la arrotar antes de prosseguir. Não consegui fazer isto muito bem ainda porque nunca fui muito boa para ajudar o bebê a arrotar (é difícil!).

Por que eu sei que 10 minutos de um seio só está sendo suficiente para alimentá-la? Por uma série de motivos. Primeiro porque li no Nana Nenê que, com a lactação já estabelecida e desde que o bebê sugue com força, é possível esvaziar os seios da mãe num tempo de 7-10 min. Outro motivo é que ela aguenta até a próxima mamada (os intervalos entre uma mamada e outra são de 2,5 a 3 horas). Também sei que ela está mamando o suficiente porque monitoro as fraldas, troco-a 7 a 8 vezes por dia. A lógica é esta: se as fraldas estão frequentemente molhadas e/ou encharcadas é porque a ingestão de líquidos está adequada. Por fim, o indicador mais importante: ela está ganhando peso! Pra falar a verdade, não sei ainda quanto ela ganhou pois a visita ao pediatra está agendada somente para a semana que vem, porém é notável que ela cresceu e engordou bastante!

Aliás, este é um fator interessante e quero aproveitar para fazer uma última observação. A Nicole eu também amamentei a cada 3 h desde o início, mas estabelecer horários fixos de amamentação eu só fui aprender a fazer um tempo depois, acho que no 2º. mês de vida. No início, se em vez de amamentar às 13:00 eu só conseguisse acordá-la e começar a mamada às 13:25, eu acabava considerando o horário de acordá-la novamente para a próxima mamada às 16:25 e não 16:00 como deveria. O problema é que muito provavelmente eu também teria dificuldade de acordá-la e outros 20-30 min se passariam. Assim, a mamada das 16:00 acabava acontecendo às 16:50, ou seja, quase uma hora depois. O atraso de uma mamada se refletia no horário da próxima (efeito dominó) e, por isso, além da rotina não ficar muito previsível, não era sempre possível garantir as 7-8 mamadas do dia (pois o dia só tem 24 horas!). Desta vez eu estabeleci horários fixos desde o início (6:00, 9:00, 12:00, 15:00, 17:00, 20:00, 23:00 e de madrugada quando/se ela acorda), incluindo o cluster feeding, que significa amamentar com intervalo menor entre 2 mamadas no final da tarde para, como diz a Encantadora, "encher o tanque" (a barriguinha do bebê) para ajudá-lo a dormir mais horas seguidas à noite. O Nana Nenê também explica que no fim do dia é normal o suprimento de leite materno ser menor e, por isso, também aconselha diminuir o intervalo entre as mamadas nessa hora do dia. Uma nota com relação à rotina: Depois de 5 semanas mais ou menos de cluster feeding adaptei os horários para conseguir fazer o dream feed (mamada dos sonhos) mais cedo. Não estava gostando de dar a última mamada do dia tão tarde, às 20:00; ela não dormia direito e acabava acordando novamente para a mamada dos sonhos (em vez de mamar dormindo como deveria). Então a rotina hoje está mais ou menos assim: 6:00, 9:00, 12:00, 14:00, 17:00, 19:00, 22:30 e de madrugada.

Activity (Atividade)
A segunda parte da rotina dela é ficar acordada. Para bebês recém-nascidos isso é um verdadeiro desafio. Aliás, tive MUITA dificuldade de acordar a Alícia para as mamadas durante as primeiras semanas de vida. Levantava-a, fazia cócega na orelha, abria o macacão para resfriar um pouco o corpo (pois o calor dá sono) e mesmo assim não funcionava toda vez. Eu chegava a ficar 20-30 min só tentando acordá-la. Às vezes eu queria simplesmente desistir e deixá-la dormir. Mas enfim o esforço valeu a pena pois aos poucos o corpo dela foi se ajustando e hoje em dia é comum ela acordar sozinha perto do horário de mamar. Isto é muito importante e fruto da AOP (alimentação orientada pelos pais) que o Nana Nenê ensina, pois faz parte do processo de "treinar" o metabolismo do bebê para mamar e ficar acordado nas horas certas (de dia!) até ele ser capaz de dormir a noite toda.

Nesta fase a Alícia ainda não consegue ficar acordada por mais de 40-50 minutos, o que inclui o tempo gasto mamando e a troca de fralda/roupa (ou o banho, 1x por dia). Também tomo o cuidado de não ficar com ela no colo durante todo o período acordada. Tanto o Nana Nenê quanto a Encantadora promovem o lema "Comece como quer terminar" (Start as you mean to go).

Sleep (Dormir)
A última parte da rotina nesta fase é dormir. O objetivo é que o bebê aprenda a dormir sozinho e no seu próprio berço e, para isso, às vezes é necessário deixá-lo chorar um pouco. Até o momento não tenho tido grandes dificuldades. Eu uso a chupeta e/ou a seguro (sem balançar) por alguns instantes, mas quando vejo que ela está calminha o suficiente coloco-a no berço ou no moisés para tirar a soneca. Normalmente ela já deu algumas bocejadas e os olhos delas estão fitos em alguma direção. Pra mim são os dois sinais mais claros de que ela já está pronta para embarcar no sono.

Nos dias em que ela está agitada e com dificuldade para dormir (ou quando temo que seu choro irá acordar a Nicole), deixo-a com a chupeta um tempo maior e ela acaba dormindo. No fim das contas ela sempre cospe a chupeta depois que adormece, mas quando dá entro no quarto antes disso acontecer e eu mesmo tiro-a da boca dela (ela resiste sugando-a com mais força!). Estou fazendo isso porque com a Nicole foi um problema; na ânsia por não ouvi-la chorar acabamos tornando-a dependente da chupeta. Tivemos dias e noites difíceis no começo porque toda vez que a chupeta caía da boca ela abria o berreiro!! Era muito estressante entrar no quarto várias vezes (inclusive durante a noite) para repô-la. Não queremos reviver esses episódios, então estou sendo bem mais cautelosa com a chupeta desta vez.

Além do soluço que a Alícia tem em praticamente todas as mamadas (e não sei como fazer para evitar!), ela também tem muitos gases e isso algumas vezes interrompe o seu sono. Como a Nicole fazia, ela se contorce de dor e chora. A diferença é que, além de massagear a barriguinha fazendo pressão com as perninhas dela dobradas, estou dando antigases (simeticona) a cada 8 horas conforme prescrito pelo pediatra. Não sei porque eu não fiz o mesmo com a Nicole! Quer dizer, até sei, eu quis evitar dar medicamento e tentei resolver o problema de outra forma (com massagem, bolsa de água quente e funchicórea), mas desta vez pesquisei melhor sobre a ação do antigases e resolvi dar. Estou vendo resultado, ele realmente a ajuda a eliminar os gases e ela sofre menos. Também verifiquei que a ação dele é cumulativa, então os resultados são melhores se ele é dado com consistência (e não somente quando ela tem dor).

Tivemos alguns dias, entre 18:00 e 22:00, em que a Alícia ficou bem nervosa e chorou além do normal. Num dos dias sabíamos que ela chorava de dor (gases), mas nos outros não sabíamos o que ela tinha. Ela simplesmente esperneava e chorava, por muito tempo! A ponto de pular a soneca. É o que alguns chamam em inglês de witching hour. Não se sabe bem o motivo mas pelo que li é comum bebês chorarem mais no fim do dia. Tivemos umas três ou quatro crises dessa até agora (no mesmo horário) e eu tenho entendido que não é o momento de deixar chorar (CIO = cry it out). Quando a Nicole era pequena eu não era muito flexível com relação a isso, não tive sabedoria para discernir as diferenças. Se não fosse fome, frio, calor, fralda suja ou outro motivo aparente, eu deixava chorar crendo que isso a ajudaria a dormir por conta própria (o grande objetivo). Claro que me partia o coração ouvi-la chorar tanto e por tanto tempo; eu entrava a cada 15 ou 20 min no quarto para tentar acalmá-la e repetir o processo de colocá-la pra dormir na esperança de que ela aprendesse logo. Deu certo, mas foi sofrido e sei que não é qualquer um que aguenta a pressão.

Com relação à tolerância ao choro, percebo que algo mudou em mim. Estou definitivamente mais tranquila. O choro da Nicole me apavorava e eu não conseguia raciocionar direito se ela estivesse chorando. Trinta segundos de choro me pareciam vários minutos!! E às vezes nem choro era, era só um resmungo mesmo, mas acho que os meus ouvidos ampliavam o som. Claro que outras vezes eram choro sim, e bem estridente também! Um dos motivos da mudança, sem dúvidas, é porque já passei por isso uma vez antes e, portanto, estou melhor preparada. Mas outro motivo igualmente relevante é que agora eu tenho de dividir a minha atenção. Não tenho só um bebê recém-nascido em casa, tenho mais uma filha de quase dois anos e que também precisa de mim. Quantas vezes precisei deixar a Alícia chorando por um ou dois minutos porque estava fazendo alguma coisa para/com a Nicole (exemplo, levando-a ao banheiro, dando banho, comida ou escovando os seus dentes)? Há situações em que simplesmente não dá para largar tudo e ir ver o bebê! Não sou duas! E isso é bom, tanto para mim quanto para elas. Quando finalmente consigo chegar até a Alícia para ver o que está acontecendo ela normalmente já "se resolveu" e não está mais chorando. Eu desconfiava mesmo de que em parte a "culpa" pelo fato das crianças serem exigentes fossem das mães que atendem a todos os choros prontamente!

Desta vez estou sendo mais flexível. Como sei que a Alícia já consegue dormir sozinha (porque ela o faz em praticamente todas as sonecas do dia), tenho me dado ao luxo de segurá-la e deixá-la dormir no meu colo nesses períodos tensos de fim dia. Na verdade quem tem feito isso é o meu marido já que nesta hora do dia ele já chegou do trabalho. A Valerie Plowman, do blog Chronicles of a Babywise Mom, estabelece uma hierarquia quanto às prioridades que dizem respeito ao sono do bebê: 1) dormir na hora certa (conforme a rotina), 2) dormir no local certo (no berço), 3) dormir da forma certa (sozinho). Por isso, antes de mais nada, é preciso que a Alícia durma na hora certa, ainda que isso signifique que ela vai dormir no colo. Sei que fazê-lo algumas vezes em situações atípicas como essas não é suficiente para pôr tudo a perder e faz parte da flexibilidade que tanto o Nana Nenê como a Encantadora enfatizam mas que, por algum motivo, mães de primeira viagem como eu não entendem. Isto está muito claro para mim hoje.

Uma surpresa agradável que tive neste primeiro mês da Alícia foram as noites alongadas. O Nana Nenê ensina a não acordar o bebê pra mamar durante a madrugada, mas deixá-lo acordar sozinho pois entre o 10º. dia e a 8a semana de vida ele já seria capaz de dormir a noite toda. A minha teoria é de que isso depende em grande parte do peso do bebê. Quanto menor o bebê mais difícil é porque seu estômago ainda não comporta uma quantidade suficiente de leite para ele ficar tantas horas sem mamar. À noite a Nicole acordava pra mamar após aprox. 5 horas de sono e batalhei bastante para ela finalmente conseguir dormir a noite inteira (de 7 pra 8 horas), o que só foi acontecer com 8 para 9 semanas de vida, ou seja, bem no limite do prazo que o livro havia dado. Já os resultados com a Alícia vieram bem mais rápido: com 11 e 12 dias ela dormiu de 6 a 7 horas seguidas pela primeira vez!! Tomei um susto quando acordei de manhã. Depois com 17 e 18 dias de novo. Que delícia pra mim! Com 24 e 25 dias de vida nova surpresa: foram 7 a 8 horas de sono ininterrupto dessa vez! E ela não tinha completado nem um mês de vida ainda.

Dormir a noite inteira não é uma constante ainda e nunca aconteceu por mais de quatro noites consecutivas. Aconteceu de novo com 33 dias (6 horas), com 38 dias (8,5 horas), com 39 dias (6,5 horas), com 40 dias (6 horas) e com 41 dias (7,5 horas). Mas as demais noites foram somente 5 horas ou menos de sono ininterrupto. Tenho percebido que o "sucesso" à noite varia de acordo com a qualidade das mamadas do dia e também da implementação da rotina. Se, durante o dia, eu consigo fazer todos os ciclos de "comer/ficar acordada/tirar soneca" direitinho e, assim, ela fica acordada o tempo adequado e ingere o suficiente de calorias, os resultados à noite são melhores. Mas com filha pequena e de férias em casa nem sempre é possível seguir a rotina perfeita, por isso fomos bem flexíveis neste primeiro mês.

You (Você)
No livro da Encantadora de Bebês, a Tracy Hogg enfatiza que a mãe separe períodos do dia para cuidar de si e o horário ideal é enquanto o bebê está dormindo. Por isso é tão importante que as sonecas sejam longas, de 1h30 a 2 horas por ciclo. No Nana Nenê e Educação de Filhos à Maneira de Deus, os Ezzos também falam da importância de investir no relacionamento que é a base da família: o relacionamento marido-mulher. Eles dizem que "bons cônjuges produzem bons pais" e eu concordo plenamente! Com dois filhos o desafio de manter o casamento saudável é ainda maior, por isso meu marido e eu já separamos algumas datas de nossas agendas, 1x por mês até o final do ano, para termos o nosso tempo sem as meninas. Ainda não sabemos qual será o programa cada mês, mas vamos "voluntariar" babás para ficarem com elas nesses dias, rs!

Bem, por hoje é só! Vou postando as novidades conforme elas acontecem.

11 comentários:

  1. Posso se a babá se for na minha folga,rsrsr.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, amei encontrar este blog. Orei muito para Deus me dar sabedoria e estava lendo os livros novamente... Ate que encontrei vocês. É muito bom ler sobre mães que já passaram por tudo isso. Mas tenho uma duvida: minha bebe esta com quase 1 mês e tenho muito dificuldade de fazer o momento de vigília com ela. Geralmente ela esta adormecendo apos as mamadas e se tento mantém-lá acordada, ela acaba agitando demais e não consegue dormir depois. Fica chorosa e junta uma mamada a outra. Como fazer o tempo de atividades nesta fase? Desde já, obrigada. Laiza

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Laiza,

    Minha sugestão é você fazer um intervalo no meio da mamada para despertá-la já que a sucção é calmante e deixa o bebê com soninho. Por quanto tempo sua bebê mama? Será que talvez você não esteja deixando-a muito tempo ao peito depois que o leite já acabou (sucção não-nutritiva)?

    De qualquer forma, lembre-se de que messas primeiras semanas o bebê realmente fica pouco tempo acordado!! Após tirá-la(s) do peito, eu normalmente só conseguia manter minha(s) filha(s) acordada(s) em média por 20 minutos. É o tempo suficiente que eu tinha pra trocar fralda ou roupa e deixá-la(s) "bricando" com algo colorido ou de listras por 5-10 minutinhos (no início o tempo acordada resume-se nisso, rs).

    Nesta fase eu não aconselho agitá-la demais mesmo. Se você exceder nos estímulos visuais pode acabar cansando demais sua bebê e dai ela vai ficar chorona. Talvez sua bebê seja mais sensível. Por isso eu sugiro que você faça atividades bem tranquilas com ela!

    Que Deus lhe dê sabedoria!
    Um abraço, Talita

    ResponderExcluir
  4. Muito obrigada! Acho que o tempo da mamada esta muito longo, mesmo. Vou tentar otimizar...
    Hoje a mina bebe faz um mês! Realmente é um presente de Deus!
    Um abraço, Laiza

    ResponderExcluir
  5. Disponha, é alegria pra mim poder ajudar! = )

    ResponderExcluir
  6. Talita, Tudo bem? nos conhecemos fazendo o curso Crow (treinamento) na igreja Novidade de Vida lembra? (Aline e Danilo). Fiquei muito impressionada em ver que suas filhas se comportavam durante o curso e até conversamos um pouco no dia sobre isso. Agora, acabo de ter minha primeira filha (esta com 20 dias) e estou um pouco assustada e precisando de ajuda. As mamadas dela duravam cerca de uma hora (30 minutos em cada lado). Após 7 dias tive que tomar remédio devido a infecção urinária e isso acabou influenciando na quantidade do leite. Nessa altura os meus seios estavam bastante machucados e sangrando também o que fez com que eu começasse a dar complemento na mamadeira (primeiro no copinho depois na mamadeira). Dando complemento ela parou de chorar pois estava chorando muito durante toda a noite e queria sugar muito. Tentamos a chupeta mas ela ainda não pegou. Descobrimos com isso que o choro era de fome. Agora sempre amamento no peito mas tenho que dar complemento. Começamos a coloca-la no berço agora no quarto dela. Os horários de mamadas a noite estão a cada duas horas e após mamar ela fica muito desperta e não consegue dormir na sequencia, ou seja, tenho que ficar com ela quase 40 minutos ou mais para que durma novamente. Espero ela acordar para amamentar, durante o dia ela chega a ficar até 4 horas dormindo, o que a noite não acontece. Minha dúvida: Devo deixa-la chorando no berço até que durma ou faço ela dormir no colo? Durante o dia ela fica acordada cerca de 3 horas, mas sem chorar e depois dorme bastante, mas parece que a noite ela desperta. Gostaria de saber se você pode me passar seu telefone para conversarmos. Um grande abraço e que Deus de abençoe. Aline Bello

    ResponderExcluir
  7. Oi Aline,

    Claro que me lembro de você e - puxa! - como estou feliz que você encontrou o blog. Estou pensando que não faz tanto tempo assim que fizemos o curso de treinamento do Crown na NDV, então pode ser que você já estivesse grávida naquela época e não sabia, né!

    Para mim será uma alegria poder ajudar de alguma forma, me mande um e-mail (talita@200horas.com.br) que eu lhe passo meu número de telefone! No momento estou fora de São Paulo na casa da minha sogra porque minha casa está em reforma, mas quando eu voltar a gente pode até marcar de se encontrar para se falar pessoalmente!

    Antes de eu responder as suas dúvidas, vou pedir para você dar uma boa "passeada" pelo blog - escolha pelo marcador "bebês 0-3 meses" que fica mais fácil. De qualquer forma, há alguns pontos que eu gostaria de ressaltar (minha opinião apenas, ok?).

    Primeiro, a duração das mamadas talvez esteja muito longa, isso dificulta a amamentação porque machuca mais o seio e não necessariamente significa que você está estimulando a produção de leite (se for sucção não-nutritiva). Para aumentar a oferta tem de aumentar a demanda, ou seja, você precisa diminuir o intervalo entre as mamadas POR UM PERÍODO (em vez de 3 em 3 horas, dar de 2 em 2, por exemplo), o que é bem diferente de ficar com a bebê por mais tempo ao peito, entende? Diminuindo o intervalo, seu seu corpo vai entender que a demanda aumentou e que precisa produzir mais.

    Segundo, você precisa estabelecer uma rotina com ela (minha sugestão: dormir, mamar, ficar acordada - NESTA ORDEM). A cada 3 horas esse ciclo se repete. Estabeleça os horários dela mamar. Isso significa que você não vai deixá-la dormir por 4 horas durante o dia. Acredite, o segredo para uma noite bem dormida é a ALIMENTAÇÃO DURANTE O DIA. Neste início serão 5-6 mamadas durante o dia, a mamada dos sonhos e a mamada da madrugada. Esta última é a única para o qual você NÃO acorda a bebê. Em todas as outras você é quem decide que está na hora de mamar. Não espere ela acordar, acorde-a. Se você deixá-la decidir, ela vai acabar trocando o dia pela noite (como pelo visto ela já está fazendo).

    Em resumo, não acho que você deva deixá-la chorando para que ela volte a dormir depois de mamar à noite. Me parece que se você se focar em implementar a rotina esse problema dela ficar desperta no horário errado se resolverá naturalmente.

    Pra finalizar, recomendo a leitura deste post: http://maternidadeproativa.blogspot.com.br/2010/04/maternidade-e-bencao-nao-martirio.html

    Espero ter ajudado e que Deus abençoe sua família!

    Beijos, Talita

    ResponderExcluir
  8. mandei um email, da uma olhada lá abraço KIKA

    ResponderExcluir
  9. Oi Kika, obrigada por ter entrado em contato. Vi seu e-mail e já o respondi. Um abraço!

    ResponderExcluir
  10. Ludmila fernandes teixeira29 de julho de 2012 15:46

    Ola Talita!
    Ja li diversas vezes seu blog e cada vez fico mais impresionada!
    Tenho uma pequenina de 7 semanas, ela desde que saiu do hospital tem sua propria rotina...ela mama de 4 em 4 horas, ganhou peso, cresceu e durante a noite só acorda 1 vez pra mamar...até ai eu achava um sonho porque ela mamava no peito e depois ainda 120 mls na mamadeira.( a mamadeira tive que colocar porque meu bico naum só rachou como saiu um pedaço e tive que deixar cicatrizar para poder voltar a dar).Na ultima semana meu peito voltou a produzir e ela praticamente so mama no peito mas tenho a impresão de não ser o bastante apesar de ela molhar a frauda e continuar mamando de 4 em 4 horas. Não sou mãe de primeira viagem mas meu 1*filho não tinha rotina alguma, mamava de 30 em 30 min, era um boizinho de tão gordo.Na mamada da manha ,mais ou menos as 8hrs ela praticamente não dorme até a proxima mamada...só da uns cochilinhos...você acha que devo modificar essa rotina dela e tentar algo difeente?Agradeço toda e qualquer sugestão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ludmila,

      Que bom que você acompanha o nosso blog e fica impressionada com o que lê. Fico extremamente feliz de ouvir isso! = )

      Sobre a sua pequena de 7 semanas, eu acho ela muito nova para você estabelecer um intervalo de 4 horas entre as mamadas. No seu lugar eu voltaria esse intervalo para 3 horas e preferiria tentar eliminar a mamada da madrugada para que tanto você quanto ela tenham 7 a 8 horas de sono ininterrupto à noite. Assim você garante um número adequado de mamadas/ingestão calórica e ainda ganha horas de sono!

      O meu palpite é que ela só está/estava aguentando bem ficar tantas horas sem mamar porque estava tomando fórmula. Só que o leite materno é mais facilmente ingerível e por isso nesta idade não é recomendável que o bebê passe tanto tempo sem se alimentar, ok?

      De acordo com o Nana Nenê, ao final da 13a semana de vida o bebê deverá estar mamando uma média de 5 a 6 vezes por dia (nunca menos que 4) e dormindo umas 10 horas direto por noite. Bom, né!

      Um abraço, Talita

      Excluir

Deixe seu comentário!